ponto de vista por Ana Paula Sá

VAMOS FALAR SOBRE POR QUE DEVEMOS SER OTIMISTAS DURANTE A PANDEMIA?

Otimismo em diferentes formas

 

Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm; ela será ricamente recompensada. Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu;
Hebreus 10:35-36

 

 

O otimismo é uma atitude mental caracterizada pela esperança e confiança no sucesso e em um futuro positivo. Otimistas são aqueles que esperam que coisas boas aconteçam, enquanto os pessimistas preveem resultados desfavoráveis. Atitudes otimistas estão ligadas a uma série de benefícios, incluindo melhores habilidades de enfrentamento, níveis mais baixos de estresse, melhor saúde física e maior persistência na busca de objetivos. Os otimistas tendem a ver as dificuldades como experiências de aprendizado ou contratempos temporários. Mesmo o dia mais miserável traz a promessa para eles de que amanhã provavelmente será melhor.

Para muitos psicólogos, o otimismo reflete a crença de que os resultados dos eventos ou experiências serão geralmente positivos. Outros afirmam que o otimismo é mais um estilo explicativo; reside na maneira como as pessoas explicam as causas dos eventos. Os otimistas tendem a ver as causas do fracasso ou experiências negativas como temporárias em vez de permanentes, específicas em vez de globais e externas em vez de internas. Essa perspectiva permite que os otimistas vejam mais facilmente a possibilidade de mudança.

Quais são alguns dos benefícios de ser otimista?

Pessoas mais otimistas têm melhor controle da dor, melhor função imunológica e cardiovascular e maior funcionamento físico. O otimismo ajuda a atenuar os efeitos negativos das doenças físicas e está associado a melhores resultados de saúde em geral. Os otimistas tendem a buscar significado na adversidade, o que pode torná-los mais resistentes.

Pessoas mais otimistas têm melhor equilíbrio emocional: acredita-se que as pessoas otimistas são mais capazes de equilibrar suas emoções de forma mais eficaz e que se recuperam mais facilmente de alguns dos muitos estresses que a vida oferece.

Pessoas mais otimistas têm menos estresse: o otimismo está fortemente ligado a um menor risco de eventos cardiovasculares. Um estudo de 2018 do American College of Cardiology atribui isso em parte ao fato de que “os otimistas perseveram usando a solução de problemas e estratégias de planejamento para controlar os estressores”.

Pessoas mais otimistas têm melhor sono: um estudo de 2019 da Universidade de Illinois mostra que as pessoas mais otimistas tendem a dormir melhor. Mais uma vez, como disse a pesquisadora principal, Professora Rosalba Hernandez, “os otimistas são mais propensos a se envolver em enfrentamento ativo focado no problema e a interpretar eventos estressantes de maneiras mais positivas, reduzindo a preocupação e os pensamentos ruminativos quando estão adormecendo e durante todo o seu ciclo de sono. O otimismo disposicional – a crença de que coisas positivas ocorrerão no futuro – surgiu como um ativo psicológico de particular importância para a sobrevivência livre de doenças e uma saúde superior”.

Pessoas mais otimistas têm pressão arterial baixa:  em 2020,  uma equipe da Escola de Saúde Pública Harvard TH Chan da Universidade de Harvard publicou uma pesquisa mostrando que os otimistas têm um risco menor de pressão alta e hipertensão. Mais importante ainda, a pesquisadora principal, Professora Laura Kubzansky, professora Lee Kum Kee de Ciências Sociais e Comportamentais de Harvard, disse: “O otimismo é um ativo de saúde e um alvo potencial para intervenções de saúde pública”.

Pessoas mais otimistas têm inflamação mais baixa:   sobreviventes de derrame com altos níveis de otimismo tiveram níveis de inflamação mais baixos, redução da gravidade do derrame e menos deficiência física, de  acordo com a pesquisa apresentada no Simpósio de Enfermagem 2020  da American Stroke Association’s International Stroke.

O fundador do Resilience Project, Hugh van Cuylenburg, diz que um otimista tem menos probabilidade de morrer de infecção, câncer, doenças cardíacas, derrames e doenças respiratórias. Os otimistas também podem desfrutar de melhores níveis de saúde mental. A ciência mostra que os otimistas são significativamente mais bem-sucedidos do que os pessimistas em eventos adversos e quando circunstâncias imprevistas atrapalham a realização de objetivos de vida importantes.

Qual a importância do otimismo para as políticas durante as pandemias?

Estudos com gêmeos sugerem que 25% do otimismo não é hereditário, o que sugere que o otimismo pode ser aprendido, especialmente durante os anos impressionáveis ​​de um indivíduo (por exemplo, durante sua criação tardia), em casa ou na escola ou faculdade. Esta pode ser uma característica pessoal importante, que se mostra essencial durante as pandemias e, de forma mais geral, na vida profissional (por exemplo, mais empreendedorismo). Se os governos esperam ter indivíduos resilientes durante a pandemia atual e futura, devemos investir no desenvolvimento de recursos para produzir indivíduos mais otimistas. Isso inclui narrativas mais otimistas que superam interpretações fatalistas da realidade. Portanto, desligue a TV um pouco. Leia um bom livro. Vá tomar sol (vitamina D é ótima pra saúde). Saia para caminhar ao ar livre. Escolha ser feliz!

 

 

 

Ana Paula Sá Menezes

Mãe de Autista

Mestre em Ensino de Ciências na Amazônia

Especialista em Ensino de Matemática

Especialista em Neuropsicopedagogia