Vernissage 2018 por Elizete Maidana

Hoje escrevo esta notícia em 1ª pessoa, afinal estou falando de meus trabalhos, da minha nova etapa de vida, passando a desenvolver uma atividade direcionada a registro de imagens.

Há muito anos tenho essa ideia em mente, e hoje aos 48 anos de idade consegui torná-la realidade.

Mostrar o que já vi, o que já vivi, e transformar tudo isso em imagens para mim é fascinante, é transpor tudo que o tempo não pode apagar, é eternizar por um tempo indefinido os momentos vividos.

Encontro uma certa resistência em falar de mim mesma, e nesse contexto convidei colegas jornalistas da região, para fazer esse papel de levar informação sobre o meu propósito.

Estiveram em Nioaque jornalista da região sudoeste, a quem eu tenho a imensa satisfação de partilhar desse trabalho magnífico, que é o universo midiático.

 

 

 

Jornalista Lile Corrêa de Ponta Porã

Repórter na empresa Jornal Che Fronteira
Locutor, Apresentador na empresa Rádio Líder FM 104,9

 

 

 

 

 

 

Jornalista Hildebrando Procópio de Porto Murtinho/MS

Jornalista e Radialista na empresa Agência Folha de Publicidade
Trabalhou como Diretor e locutor na empresa Rádio Web Pantaneira

 

 

 

 

 

 

Jornalista e Cerimonialista Paulo Abílio da cidade de Jardim/MS

 

 

 

 

Jornalista Hosana de Lurdes

Jornalista da cidade de Maracaju/MS- Site Tudo do MS

 

 

 

 

Alvaro Pereira, Jornalista da cidade de Jardim – Tribuna Popular

 

 

 

 

E falando um pouco do evento, tudo transcorreu da forma como planejei, nos mínimos detalhes.

A noite do dia 24 de Novembro ficará registrado em minhas lembranças, como o dia em que me lancei oficialmente como fotógrafa.

E nas lentes de Maikelly Cabral vocês poderão apreciar esse dia registrado em fotos.

Agradeço a todos os convidados que confirmaram presenças e compareceram, partilhando desse momento, sendo amigos, convidados de todos os segmentos da sociedade.

Agradeço meu esposo “Maidana”, a quem me apoio com esse projeto, aos compradores das fotos telas, as meninas e meninos que aceitaram o desafio de por mim ser registrada, ao vereador Ademar que fez uma contribuição para o evento, às minhas amigas Regina, Ozinéia que estiveram no dia auxiliando na decoração, ao Jeuzimar Seco que entregou os convites, ao policial John Marlom que emprestou seu drone para eu fazer  fotos aéreas, ao comando do 9º G.A.C pela locação do espaço, e a todos que direta e indiretamente me apoiaram… Sozinha jamais conseguiria alcançar os objetivos para esse evento.

Agradeço às empresárias Inácia Maidana, Maria Aparecida (Buga), Tayana Vicentin, Celma Viscarde e Franciele D’Avila pelas doações de prendas que foram sorteadas às mulheres no evento.

O evento aconteceu no Clube de Oficiais de Nioaque – CELON, ao som da Banda BM2 da cidade de Campo Grande, com Iara’s Buffet de Nioaque, Doces Finos de Cássia Neves, e decoração de V&B.

 

Novos Rumos

Ainda, pensando em uma nova trajetória, no ano vindouro o Nioaqueonline não fará mais notícias policiais, nossos trabalhos serão restritamente a noticiar eventos culturais, cívicos, político-administrativos, e os de tradições da cidade.

Considero uma decisão litigiosa de minha parte para com as informações, mas por morar em uma cidade pequena, em que conheço a todos, é muito difícil  levar certos tipos de informações, que por vezes o noticiado não entende que estou fazendo minha parte de apenas noticiar o fato, que na maioria das vezes é público, com participação documentais.

O jornalismo é o pilar da democracia, é a arma super poderosa, e,  através desse mecanismo que tornamos cidadãos críticos, passando a formar opinião sobre a realidade em que vivemos.

Depois de muito brigar com minha consciência,   mesmo sabendo que durante todos esses anos de trabalho não cometi injustiça, não levei informação inverídica, cheguei a decisão de no próximo ano noticiar apenas as festas e eventos. E, para não parar de tudo, inicio o trabalhos com fotos, uma paixão que não dá para largar de tudo… Uma forma de estar perto do trabalho realizado, mas tão somente na alegria, afinal falar bem não causa furor, nem rancor.

“Na vida há todos os tipos de expectativas e modo de se viver essa vida breve… Não almejo acumular riquezas materiais, pois vim ao mundo sem nada, e sem nada vou-me embora um dia… Mas quero viver dignamente, com todo conforto que meus trabalhos me proporcionam… Continuar fazendo o bem sem olhar a quem, cumprindo de certa forma o mandamento de amar o próximo como a nós mesmo, e deixar o legado de que tudo vale a pena quando dedicamos os nossos interesses para  o bem”

Obrigada!!!

Elizete Maidana.

Fotos: Maikelly Cabral

 

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *