VAMOS FALAR SOBRE RESILIÊNCIA?

 

 

“Um homem de moral não fica no chão […] Reconhece a queda e não desanima
Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”

 

Quem não lembra dessa música na maravilhosa voz de Beth Carvalho? Quantos de nós já não passou por problemas ou grandes derrotas em nossa vida pessoal que parecia que jamais iríamos nos recuperar? Quem de nós não conheceu alguém que se curou de um câncer agressivo sem baixar sua moral?

Muitas pessoas acreditam que resiliência significa enfrentar o caminho através de tempos difíceis ileso, ou sair ainda melhor do que quando entramos. Para aqueles que enfrentam dificuldades com uma sensação de sofrimento, profundamente marcados e impressionados com os eventos que os rodeiam, existe uma crença de que eles não podem ser resilientes por causa das cicatrizes que carregam.  Não sei quanto a você, mas em minhas várias décadas de vida como humana, ainda não conheci alguém que se recupere do infortúnio “facilmente”. Algumas pessoas parecem ser capazes de se recuperar com mais facilidade do que outras, mas deixe-me deixar claro que nunca é “fácil” para ninguém.

Então, o que é resiliência?

Resiliência é uma habilidade essencial para a vida e sua capacidade de ser resiliente ao estresse, contratempos, adversidades e mudanças depende muito de seus recursos e força internos. Também é importante entender que as bolas curvas que a vida inevitavelmente vai lançar para você, são muitas vezes as lições mais valiosas quando se trata de aprender e construir sua resiliência pessoal. Ser uma pessoa resiliente é mais do que apenas ser capaz de se recuperar e sobreviver, é também aprender a crescer e prosperar. A resiliência só pode ser encontrada em meio a dificuldades, desafios e sofrimentos.

Messi é um grande jogador com muita habilidade inata de jogar futebol. Mas, se ele nunca praticasse essa habilidade, é improvável que tivesse a brilhante carreira profissional que tem hoje. Enquanto isso, se essa habilidade for praticada e cultivada intencionalmente, é mais provável que ela melhore e se torne um conjunto aprimorado de habilidades que se destaca das demais. Da mesma forma, a resiliência é uma habilidade cultivada. Como humanos, todos nascemos com a capacidade de ser resilientes, mas isso é aprimorado com a prática. Agora, isso não significa que devemos nos lançar ao sofrimento na esperança de conseguir nossa prática. Assim como no exemplo de Messi, a prática é mais frutífera quando é treinada, apoiada e encorajada – não apenas jogando uma bola, quer queira quer não, sozinho ao lado de uma parede. Da mesma forma, a resiliência é melhor cultivada quando é modelada por outras pessoas e quando somos treinados e apoiados em nossas próprias dificuldades.

Resiliência não significa mudar as circunstâncias ou fingir que o sofrimento não está acontecendo. Resiliência significa aceitar o que está acontecendo e realmente reconhecer que está acontecendo. Não podemos nos ajustar a algo quando o ignoramos.

Resiliência não é sofrimento silencioso. Resiliência significa reconhecer o que está acontecendo. Mais do que aceitar o que está acontecendo, esta etapa significa afirmar externamente que as coisas estão difíceis e buscar apoio. A resiliência reconhece que não é apenas o sofrimento imediato que é difícil, mas também os impactos contínuos (às vezes duradouros) que o sofrimento inicial teve. A resiliência busca suporte não só para o sofrimento imediato, mas também para os impactos.

Resiliência é o processo de passar de vítima (algo difícil acontecendo comigo), para sobrevivente (algo difícil que eu superei) e depois para  resiliente (algo difícil que aconteceu comigo, superei e encontrei uma maneira de transformá-lo em algo significativo). Procure ser uma pessoa resiliente e nunca deixe de buscar ajuda (inclusive profissional) quando sentir que está caindo. Conecte-se com seu eu interior. Sinta o mundo ao seu redor. Reconecte-se.

 

Ana Paula Sá Menezes

Mãe de Autista

Mestre em Ensino de Ciências na Amazônia

Especialista em Ensino de Matemática

Especialista em Neuropsicopedagogia