Nioaqueonline entrevista o pré-candidato ao cargo do legislativo Carlos Lourenço

20160517_185956Nioaqueonline, em 17 de maio, dia internacional do combate a homofobia, entrevistou o jovem Carlos Lourenço, 21 anos, nioaquense, cursou por 3 anos fisioterapia pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), cabeleireiro, voltou recentemente para Nioaque após passar uma temporada morando em Rio de Janeiro. Homossexual assumido, luta pela classe e pelos direitos da minoria, intitulando-se no momento pré-candidato ao cargo do legislativo para o próximo pleito.
Nioaqueonline: Qual é o seu partido, você já participou de outros?
Carlos: PSDB, desde 2015, 1ª filiação.

Nioaqueonline: O que é ser vereador para você?
Carlos: Representar a classe a qual representa, fiscalizar o executivo, buscar projetos para benefício da comunidade, criar leis.

Nioaqueonline: O que te levou a entrar para o meio político?
Carlos: O cenário atual que se encontra a cidade, vendo que ela está abandonada, sem políticas de inclusão aos jovens, dos idosos, e toda classe humanitária. Vendo que hoje os governantes só pensam em benefícios próprios, deixando de lado o verdadeiro sentido da política, que é a ciência do bem comum, acreditando que todos os cidadãos devem participar ativamente da política, coisa que não vejo acontecer no município.

Nioaqueonline Como você sempre posicionou sua afetividade, declarando-se homossexual, você já sofreu ataques homofóbicos em Nioaque? E como lidou com a situação?

Carlos: De alguma forma, todos que tem uma posição diferente do que a sociedade impõe como normal, sofre certo preconceito. Eu lido com a situação não combatendo o ódio com ódio. Para chegar a flor precisamos passar pelos espinhos, a melhor forma de combate a homofobia é a informação. Acredito que cada ser humano tem o direito de ser feliz da forma que achar correto. Eu respeito o ser humano em suas escolhas, e acredito que devo ser respeitado pelas minhas.

Nioaqueonline: Você acha que os homossexuais são discriminados pela sociedade?
Carlos: Sim. Hoje a sociedade ainda prega que lugar de homossexuais e LGBTs são as ruas, sendo marginalizados no mundo da prostituição. Mas sorte a nossa que a comunidade LGBT vem se mostrando forte, e ocupando cargos de grande importância na sociedade. Liderando empresas, no ramo político, e se mostrando muito bem no que fazem. E como eu disse Elizete, nunca devemos combater o ódio com ódio, e sim devemos mostrar à sociedade preconceituosa que não somos o que eles acham que somos.
Nioaqueonline: A escola deve combater o preconceito em todas as suas formas, a seu ver ela consegue lidar com o combate da homofobia?
Carlos: Com certeza. A escola forma o cidadão em sua totalidade, desde a intelectual até a psicológica. Dentro do ambiente escolar devemos pregar o respeito a todos, independente de qualquer coisa. E aquele que sabe o verdadeiro sentido ao respeito, jamais cometerá qualquer tipo de preconceito.
Nioaqueonline: Nesse contexto, quais os projetos que você viabilizará, caso chegue a ocupar uma cadeira? Qual contribuição que você fomentará ao homossexualismo e a homofobia?
Carlos: Não precisa de projetos específicos para combater a homofobia, acredito que criar projetos que orientam os jovens que o respeito impera sobre tudo, assim não precisará combater a homofobia, ela será extinta por si só. Como dizia um grande pensador, “eduque as crianças para que não seja necessário punir os adultos”.
Nioaqueonline : A população está desacreditada nos políticos. Porque acreditar no Carlos?
Carlos: Realmente nosso cenário atual político deixa todos descontentes, mas acredito que não acreditar não seja o remédio. Há um ditado que diz que os jovens são o futuro da nação, então podem acreditar no Carlos, que é um jovem com pensamentos inovadores, com sede de mudanças, com pensamentos novos, e que não se esconde atrás de um sobrenome, que tem uma grande vontade de mudar o cenário atual político. Dizem que uma andorinha só não faz verão, porém pode mostrar a outros qual o caminho que devemos seguir. Só garanto que não serei omisso, e serei sempre base aliada do povo.
Nioaqueonline: Já existem pré-candidatos definidos a prefeito em Nioaque. Com quem
Você irá caminhar para prefeito em 2016?
Carlos: Com o pré-candidato ao meu partido, Valdir Couto Junior.
Nioaqueonline: Como você avalia a atual administração?
Carlos: Omissa em quase tudo, que não tem a capacidade de manter nem a ordem pública, nem os serviços básicos. Mas a melhor avaliação vem do povo que terá uma chance de mudança no dia 02 de outubro.
Nioaqueonline: Em sua opinião o que deveria ser priorizado em um governo?
Carlos: Serviços de atenção básica, saúde, educação e serviços de assistência social. Tendo-se saúde teremos pessoas aptas e saudáveis para exercer um bom trabalho. Educando-se, diminuiremos os grandes índices de marginalismo, e teremos uma sociedade alfabetizada em todos os sentidos, políticos e sociais.

Nioaqueonline: Como você avalia os trabalhos do poder legislativo em Nioaque?
Carlos: Omisso também. Como disse anteriormente, os edis precisam ser base aliada do povo, e não a interesses próprios. Vemos anos e anos as mesmas caras, os mesmos problemas e nada a ser feito. Será que o problema é só do executivo? Será que se tivéssemos vereadores realmente exercendo o seu papel de fiscalizar, estaria assim? Acredito que não, e luto para que isso mude. Tenho sede de renovação, para que nossos jovens não precisem fazer êxodo do nosso município, pois ao chegar à maior idade, não se encontra emprego, sem educação em nosso município.
Nioaqueonline: Você é iniciante na classe política, você tem algo que possa se destacar para começar essa trajetória?
Carlos: Acreditar. Acredito que ficar em casa de braços cruzados não é solução. Precisamos mostrar à comunidade a força que eles têm. Mostrar aos jovens que eles têm que participar ativamente da política pública, mostra ao idoso que já estão desacreditados, que ainda existe uma luz no fim do túnel. Eu acredito no Brasil e acredito em Nioaque. Acho que isso é importante.

Nioaqueonline: Deixe suas considerações finais.
Carlos: Bom Elizete, sou jovem, gay, de família pobre. Muitos vão falar rir de tudo isso. Mas sou uma pessoa de muita fé. Tenho fé no ser humano, tenho fé que com muito trabalho podemos mudar todo o cenário atual. Tenho fé que os nossos jovens tenham oportunidade de emprego, que tenham programas de inclusão social, quero e tenho fé ainda de ver uma sociedade alfabetizada politicamente e não fique a mercê de um governo corrupto.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *