Câmara aprova Projeto de Lei que institui dia 19 de Abril como feriado municipal

 

 

DSC_1025Foi aprovado por unanimidade, projeto de Lei Nº 03/2017, de autoria do vereador Danilo Bortoloni Catti (PSDB), em que “Fica instituído no âmbito do município de Nioaque-MS o dia 19 de Abril, data em que se comemora o dia do Índio como feriado municipal.”

 

A criação da data, ocorrida  em 1943, por meio do Decreto Lei nº 5.540, pelo Presidente Getúlio Vargas, data esta que diversos líderes indígenas resolveram participar juntamente com inúmeras autoridades dos países da América, após convite, de reunião e decisões, embora temerosos, na época, entenderam a importância do momento, sendo que esta reunião aconteceu dia 19 de abril, data que ficou escolhida no continente americano pelo grande marco histórico que assim representou.

 

Danilo Catti ressaltou que em Nioaque  estão agrupadas 04 aldeias – Brejão, Água Branca, Cabeceira, Taboquinha, e 03 Etnias, Atikun, Kinikinau e Terena. “Como fato mais relevante temos o nome de nosso município, “Nioaque” deriva da palavra Tupi-Guarani “Anhuac”, alusão está aos índios tupis-guaranis que em época da fundação habitavam essas terras”.

 

Após estudos e analises pelas comissões, foi emitido parecer favorável à aprovação, sendo colocado em apreciação ao plenário, votado, recebendo a aprovação por unanimidade.

 

Na oportunidade Danilo convidou o vereador Edirlei Correa (PEN) para juntos assinarem a autoria do projeto, vez que o edil é indígena, e assim ficará registrada a conquista não só como patrício, mas como agente responsável pelas criações das leis municipais.

 

Danilo ainda ressaltou que o objetivo primordial é que nesta data, o cidadão do município tenha a oportunidade de interagir com as comunidades indígenas, participando e prestigiando os eventos que anualmente ocorrem nas aldeias, acreditamos que o Dia do Índio é um momento de reflexões de história, onde se pode de forma positiva e organizada, promover debates, palestras voltadas a tão importante homenagem dos  primeiros habitantes.

 

Na assistência do plenário da Casa, centenas de indígenas, das quatros aldeias de Nioaque fizeram-se presente, apoiando a decisão, e aplaudindo o resultado, que para eles é um marco na história de lutas e conquistas.

Também fizeram-se presente o prefeito Valdir Junior e secretariados.

DSC_1099

 

 

 

 

 

 

Após a votação, e ao termino dos trabalhos da Casa, os índios fizeram apresentação de dança cultural, pelos homens a dança do “Bate-Pau” e pelas mulheres a dança do “Putu-Putu”.

 

DSC_6669

A dança do bate pau ou dança da Ema, é uma dança tradicional do Povo Terena. Ela é realizada apenas por homens. A dança faz alusão ao fim da Guerra Paraguai, fato que contou com a participação de muitos indígenas. Os homens carregam longas taquaras nas mãos e com elas desenvolvem uma coreografia, ora batendo as taquaras com as de outros dançarinos, ora batendo-as no chão Toca-se “pife”, instrumento tradicional parecido com uma flauta, e tambor para dar ritmo aos passos dos guerreiros. Os passos iniciais, lentos e cuidadosos, remetem ao cuidado e destreza que os guerreiros precisavam ter durante os combate,em seguida passos mais rápidos e gritos é a comemoração em relação ao fim da guerra e retorno para o território tradicional. O final da dança é marcado pela reunião dos dançarinos em circulo e a união das taquaras, sobre as quais é colocado um guerreiro, que é então erguido e ovacionado. (Colaboração das informações: Daniele Lourenço)

 

Nesse contexto os guerreiros ao finalizar a apresentação, ergueram o presidente da Casa Danilo Catti e o Prefeito Valdir Junior, como forma de reverenciá-los como “guerreiros”.

DSC_6689

Mais informações sobre a dança é possível encontrar em vários estudos acadêmicos, realizados como forma de dissertações e pós graduações.

 

 

 

 

Edição e foto: Elizete Maidana

 

DSC_1025 DSC_1026 DSC_1028 DSC_1033 DSC_1034 DSC_1038 DSC_1042 DSC_1043 DSC_1044 DSC_1045 DSC_1046 DSC_1047 DSC_1048 DSC_1049 DSC_1050 DSC_1051 DSC_1052 DSC_1053 DSC_1054 DSC_1055 DSC_1056 DSC_1057 DSC_1058 DSC_1059 DSC_1060 DSC_1061 DSC_1062 DSC_1063 DSC_1064 DSC_1066 DSC_1067 DSC_1068 DSC_1069 DSC_1070 DSC_1071 DSC_1072 DSC_1073 DSC_1074 DSC_1076 DSC_1077 DSC_1078 DSC_1080 DSC_1081 DSC_1082 DSC_1084 DSC_1085 DSC_1086 DSC_1087 DSC_1089 DSC_1090 DSC_1091 DSC_1092 DSC_1093 DSC_1094 DSC_1095 DSC_1096 DSC_1097 DSC_1098 DSC_1099 DSC_1100 DSC_1101 DSC_1102 DSC_1103 DSC_1104 DSC_1105 DSC_1106 DSC_1107 DSC_1111 DSC_1112 DSC_1113 DSC_1114 DSC_1115 DSC_1116 DSC_1117 DSC_1118 DSC_6660 DSC_6661 DSC_6662 DSC_6663 DSC_6664 DSC_6665 DSC_6666 DSC_6667 DSC_6668 DSC_6669 DSC_6670 DSC_6671 DSC_6672 DSC_6673 DSC_6674 DSC_6675 DSC_6676 DSC_6679 DSC_6680 DSC_6681 DSC_6682 DSC_6683 DSC_6684 DSC_6685 DSC_6686 DSC_6687 DSC_6688 DSC_6689 DSC_6690 DSC_6691 DSC_6693 DSC_6694 DSC_6695 DSC_6696 DSC_6697 DSC_6698 DSC_6699 DSC_6700 DSC_6701 DSC_6702




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *